OSPF – Tipos de LSA’s (Summary LSA – Tipo 4 – ASBR)

Todos os Roteadores de uma área OSPF possuem a visão completa dos links daquela área e a partir dessa visão calculam individualmente qual o melhor caminho para determinado destino.

Para a formação da tabela dos links, chamado de LSDB, o OSPF baseia-se nos LSA’s (Link State Advertisements) para transmitir informações para os Roteadores Vizinhos. Os principais tipos de LSA’s são:

Tipo 1 – Representa um Roteador
Tipo 2 – Representa o DR
Tipo 3 – Representam os links de outra Area OSPF declarados por um ABR
Tipo 4 – Representa um ASBR (Autonomous System Border Router)
Tipo 5 – Representa uma rota externa ao domínio OSPF
Tipo 7 – Usado em áreas NSSA.

OSPF – LSA Tipo 4 (Summary LSA – ASBR)

Os LSA’s do tipo 4 são gerados pelos Roteadores ABR (Area Border Router), informando o Router ID e o custo para o Roteador ASBR fora da área. Continue reading

Custo OSPF

O protocolo OSPF permite a todos roteadores em uma área ter a visão completa da topologia. O protocolo possibilita assim a decisão do caminho mais curto baseado no custo que é atribuído a cada interface, com o algoritmo Dijkstra. O custo de uma rota é a soma dos custos de todas as interfaces de saída para um destino. Por padrão, os roteadores calculam o custo OSPF baseado na fórmula Cost =Reference bandwidth value / Link bandwidth. Continue reading

MPLS (Multi Protocol Label Switching) – parte 2

Como iniciado no primeiro post, em uma rede com arquitetura MPLS cada roteador da topologia possui uma designação que define a sua posição e atribuição na topologia:

  • CE (Customer Edge Router) – possui a função de prover conectividade para a rede MPLS e é situado na “borda do cliente”. Não encaminha e nem troca labels.
  • PE (Provider Edge Router) – é responsável pela conexão entre uma rede IP (rede do cliente) e a rede MPLS (rede da Operadora/Provider)
  • P (Provider Edge Router) – é responsável pelo encaminhamento de pacotes baseando-se nos labels.

Continue reading