Cabeçalhos de extensão IPv6

Na versão 6 do protocolo IP (IPv6) as opções adicionais são abordadas através dos cabeçalhos de extensão , tais cabeçalhos, não possuem um tamanho fixo e também não há limite da quantidade exata destinada as extensões (diferente do cabeçalho base onde o tamanho é fixo). Outro ponto que temos que observar é a localização desses cabeçalhos que ficam entre o cabeçalho base e a camada de nível superior, como estamos falando do protocolo IP que encontra-se na camada de rede, obviamente entendemos que a camada de nível superior é a camada de transporte – no desenho abaixo exemplificamos como Upper Layer Header (em tradução livre, o cabeçalho da camada acima). Continue reading

RIPng

O RIPng é um protocolo de Roteamento dinâmico, IGP, de vetor de distancia que permite que roteadores troquem informações sobre as suas rotas/prefixos IPv6 dentro do domínio RIPng, utilizando-se da contagem de saltos como custo para cada prefixo (rede).

Assim como no RIP versão 1 e 2 (para IPv4), o RIPng utiliza a contagem de até 15 saltos, conforme os roteadores vão repassando os prefixos para os vizinhos é adicionado o custo 1 ao prefixo declarado em cada Roteador , o 16º salto é considerado inalcançável (infinito). Continue reading

IPv6 – Descoberta de Roteadores e Descoberta de Vizinhos

A comunicação entre hosts em uma rede local com o Protocolo IPv6 ocorre com a utilização de mensagens ICMPv6 para descoberta de dispositivos vizinhos no mesmo segmento. O assunto gerou uma discussão bastante saudável em um curso de IPv6 que participamos promovido pelo NIC.br na cidade de SP.

Para o protocolo IP versão 6 foram atribuídas funções importantes ao ICMPv6 que combinam as atividades de protocolos como o ARP, ICMP Router Discover, ICMP Redirect e etc, além de adicionar novos métodos não existentes na versão anterior do protocolo IP. A facilidade de comunicação entre equipamentos é muito pratica e em determinados cenários dispensa configuração. Continue reading

Configuração de rota estática IPv6

Durante o recebimento de pacotes para acessar outras Redes externa a LAN para comunicação entre máquinas IPv6, o roteador efetuará uma consulta na sua tabela de roteamento IPv6 para verificar se existe alguma rota para o destino. Se a rota existir o pacote será encaminhado, senão, o pacote será descartado.

A maior parte dos parâmetros de configuração de rotas estáticas em IPv6 são idênticos ao IPv4. Como por exemplo, rota estática padrão, sumarizada e flutuante. Continue reading